segunda-feira, 18 de agosto de 2014

A sensação de perder as esperanças

Querido diário.

Quando se tem 16 anos, as primeiras perguntas que as pessoas fazem são: "O que você vai ser quando crescer?", "Qual curso vai fazer?", "Já escolheu sua faculdade?", "Vai fazer ENEM?". E quando nós respondemos as outras perguntas são: "Por que você escolheu isso?", "Por que não faz como todo mundo?". E minha resposta é bem simples: Porque NÃO!
Eu escolhi uma profissão de risco. Eu a amo mais que tudo e tenho orgulho de dizer que quero ser isso. Porém as vezes parece que o mundo não conspira ao meu favor. Tudo bem, essa frase já é um clichê. Mas é a melhor forma que temos até hoje para nos expressar. Eu escolhi ser escritora.
Mas é difícil falar isso para as pessoas. Para vocês terem uma noção básica, já riram de mim quando eu disse que queria ser escritora. Sim, riram.
Quanto mais eu afirmo o que quero, mais as pessoas não acreditam em mim.
Minhas professoras de português por exemplo, já cansei de falar para elas que quero escrever, e elas não me dão nenhum apoio, incentivo ou lição, em relação a isso. Tudo que eu aprendi, foi com os livros e a internet.
Eu tenho um sonho de publicar um livro. E a cada dia que passa eu tenho mais ideias, para mais livros.
Só que a falta de incentivo das pessoas que estão ao meu redor, me machuca.
Alguns deles simplesmente leem meus textos e falam: "Muito Bom" ou "Legal". Mas na verdade, eu queria ouvir: "Parabéns Sofia. Continue assim." ou até mesmo uma critica negativa tipo: "Acho que você errou um pouco aqui. Que tal você colocar isso ou aquilo?". Mas tudo que eu consigo arrancar das pessoas é um
breve suspiro e um "legal".
Eu sou muito sonhadora e persistente. Desistir é uma coisa que só está presente na minha vida em último caso. Mas fica muito difícil ter que prosseguir uma longa jornada, sem ter alguém para me dar um apoio real.
Por um longo tempo, eu escondia tudo o que eu escrevia. Eu não mostrava com medo do que as pessoas iam achar em relação ao que eu escolhi ser.
Mas agora, eu tenho coragem. Eu quero aprender. E quero que as pessoas me ensinem. Tanto com criticas como elogios. Principalmente que pela forma que eu escolhi alcançar as pessoas, eu preciso de um apoio.
Eu preciso de ajuda.
Mas a verdade, é que as pessoas não querem ajudar. Elas só querem julgar e nos deixar para baixo.
As pessoas deixaram de acreditar nelas mesmas e é por isso que ela não acredita mais no seu próximo.

Até a próxima depressão.
Tchau.

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Cartas para R #3



Querido Re.
Eu não acredito mais no amor.
Sim, eu estou mentindo. É impossível não creditar no amor. Não sou tão fria a esse ponto.
Mas é porque hoje em dia, parece que é impossível encontrar pessoas que acreditem no amor.
Eu já fui magoada muitas vezes. E "eles", desistiram de mim. Não acredito que todas as pessoas sejam iguais, mas por mais que eu acredite na diferença delas, mais elas me provam que são iguais.
Aos poucos, a vida vai me mostrando que não vale a pena viver nesse mundo.
As pessoas esqueceram o que existe dentro delas. Esqueceram que elas tem um coração. Esqueceram que eu tenho um coração.
Eu sei, o coração não é responsável pelos nossos sentimentos. Mas geralmente é lá que doí, quando estamos magoados.
Será que Aldous Huxley, estava certo quando escreveu Admirável Mundo Novo? Será que a nova geração será criada para ter somente os prazeres do sexo e se esquecer dos prazeres do amor?
Eu estou cansada. Todo o sentimentalismo e apego que eu tenho pelas pessoas, não me levam a nada.
Todos os dias eu tenho que estampar um sorriso no rosto e fingir que minha vida está bem. Que o mundo está bem.
Na verdade, acho que todos fazem isso. Os seres humanos são ótimos em esconder a poeira em baixo do tapete. E infelizmente eu estou aprendendo com eles.
Eu só espero que um dia, a humanidade perceba que tudo isso não vai leva-los a nada. Nos temos sentimentos Re. E precisamos mostrar o que estamos sentindo.
Talvez um dia, alguém apareça dizendo que me ama. E que deseja um futuro comigo.
Talvez eu acredite e siga em frente com meu novo amor.
Ou talvez, meu coração esteja tão seco, que realmente, eu deixei de acreditar no amor.

Até a próxima.
Seu Anjo!

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Cartas para R #2



Querido R².
Eu sei. Você sugeriu que mantivéssemos uma certa distância. Mas é difícil sabe. Em um minuto estava tudo bem e no outro, todos meus sonhos se despedaçaram. Eu sei, eu sonho demais, Mas o que posso fazer se gosto de sonhar com as pessoas que eu amo?
Talvez essa carta  seja jogada fora. Ou talvez ela só se perca pelas suas coisas. Mas eu precisava falar. Precisava mostrar de alguma forma o que eu estava sentindo. Passei alguns minutos tentando decidir o que escrever e confesso que até agora eu não sei o que escrever.
Acho que o melhor a fazer neste momento  é te agradecer. Te agradecer pelos momentos que você me proporcionou. Cada risada que eu dava com você era ótima e cada beijo que eu te dava era incrível. Foram bons momentos e acho que você sabe do que estou falando.
Foi o mês mais incrível da minha vida. E eu nunca me senti tão amada. Nunca vou esquecer, de como você foi especial e de como eu me orgulhava em te chamar de meu namorado.
Você foi especial para mim e nunca vou te esquecer.
E toda vez que eu sentar nesse sofá, vou me lembrar das nossas tardes. Principalmente da tarde que você deitou no meu colo e quase dormiu.
A culpa não foi nossa. Na verdade não existe um culpado. Talvez aconteceu porque tinha que acontecer não é?

Mas saiba que você vai estar sempre guardado dentro de mim. Por mais que eme mate, aos poucos, tenho que dizer: Tchau.
Com amor, Sofia.
Sua totosa.

domingo, 25 de maio de 2014

Cartas para R #1



Querido Re.
Sei que nos conhecemos da maneira mais esquisita do mundo. Mas quem diria que um cara que curte Raul Seixas, tem uma opinião sobre tudo, mora no interior e tem uma mente diferente, fosse conquistar uma garota como eu através de uma rede social?
Eu não sei o que se passa em sua cabeça, nem eu seu coração. Pois não sei nem o que se passa na minha cabeça e no meu coração! Mas eu só quero que você saiba que de certa forma mudou minha vida. Nós nunca nos vimos e eu não sei se você é real. Mesmo assim você me deu esperanças! Esperança de que um dia eu posso encontrar um cara que seja como eu. Esses dias eu refleti e pensei em todos os caras que eu fiquei e cheguei a uma conclusão de que todos eles só me olhavam por fora. Eles não tinham a visão que você tinha de mim!
Eu não sei se isso é bom ou ruim! Talvez tenha os dois lados. O lado bom é que eu passei a ver como realmente sou por dentro e o lado ruim? Eu quero um cara que seja como você!
Eu sei, isso é estranho. Mas você sabe que minha base é a sinceridade. Eu quero alguém que me veja como você me viu.
Ontem mesmo eu estava pensando em como seria nosso encontro. Mas talvez ele nunca existira, pois como todos os outros você desistiu de mim. Claro você foi realista enquanto eu fiz o papel de sonhadora. Mas eu não e culpo por isso, e você não é um cafajeste. Mas eu precisava lhe mostrar o que estava escondido no meu coração, lhe mostrar no que eu penso todas as noites. Talvez lá no fundo, eu ainda sinta algo por você. Talvez eu quero ir ai só para lhe conhecer ou talvez eu ainda não chorei tudo que tinha para chorar. Mas mais uma vez eu serei forte. Não direi que vou virar a página, pois sei que isso será uma mentira e nojento da minha parte.  Só direi que o mundo dá voltas e talvez um dia quem sabe? Tudo pode acontecer!

P.S: Eu nunca esquecerei o conto que você fez para mim!

Até a próxima.
Seu Anjo!

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Meu acidente e o que ele me causou!

Já faz uma semana que eu enrolo,enrolo e não digo nada!
Mas vamos lá, chegou a hora!
Ninguém sabe, mas eu tenho pequenas crises de sono e quando isso acontece eu começo a falar e me mexer. Isso acontece porque eu confundo, e muito, meu sonho com minha realidade! Já acordei gritando Lady Gaga, Sangue e muito mais. Porém na Páscoa, mais precisamente na sexta feira de Páscoa, eu tive uma crise muito forte que acabou resultando em um grave acidente.
Tudo começou quando minha mãe comprou uma beliche, e minha irmã se mexe muito quando dorme então para a proteção dela decidimos que ela dormiria em baixo e eu em cima. Só que esquecemos totalmente das minhas supostas crises!
Então na Páscoa, quando eu já estava acostumada com a beliche, eu tive uma breve confusão mental e sonhei que estava no chão e que eu ia dormir (ou seja subir na beliche). Com esse grande engano do meu cérebro, eu simplesmente disse "Vou ligar a luz!" e nesse "Vou ligar a luz!" eu acabei caindo da beliche, pois estava sem consciência nenhuma do que estava fazendo e achava que já estava no chão.
Tudo isso resultou em uma fratura no braço. Não uma simples fratura que você quebra e coloca o gesso. Meu braço quebrou na região do Úmero, e o osso quase saiu para fora da minha carne!
Foi por muito pouco, mesmo assim foi desesperador, ver aquela cena do braço torto e do osso mexendo não traumatizou só a mim, mas também a minha  família. Claro em mim foi mais forte!
Por ter sido,infelizmente, em um feriado tive que ficar internada 6 dias até um médico chegar.
Vou pular a parte da enrolação que foi para fazer a cirurgia...
Depois da cirurgia, e de ter ficado na casa da minha vó um tempo, eu voltei para casa. E foi ai que minhas dores falaram mais forte! Eu comecei a falar todos os dias enquanto dormia (segundo minha mãe e minha irmã). E na noite de quinta feira eu acordei gritando e chorando e sentindo dores no meu corpo,como se tivesse caído outra vez.
Talvez tudo isso tenha acontecido porque todas as noites eu ia dormir pensando na queda, no hospital, no braço e em tudo que aconteceu tão rápido e tão de repente!
Mas eu vou levando a vida e sei que um dia tudo isso vai passar. Pelo menos espero que passe!

PS: Não tive palavras para terminar direito esse desabafo.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

É proibido ler?

Querido diário, no penúltimo (ou último não lembro) A professora SUBSTITUTA  chamou as "autoridades" da escola só porque a Rafaela tava lendo.Ela não passa nenhum conteúdo que acrescente  algo na matéria, só passa textos,textos e textos para alunos do 1º ano do Ensino Médio...
Quando ela passar alguma coisa que nós ajude e nos ensine,que nós levaremos para nossas vidas talvez nós largaríamos  os livros e faze riamos a lição que ela passa.

Mas quando o ensino NÃO É BOM,os alunos também NÃO SÃO BONS...

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Apresentação de Espanhol! + Meu Tumblr


Estou muito nervosa,hoje eu tenho uma apresentação no curso e tenho que falar na frente de um monte de babaca.E o pior eu nem decorei minha apresentação e se eu faltar perco metade da minha nota. Tenho que falar de 2 escritores que nunca ouvi falar,vou passar o maior nervoso e ter que olhar pra cara  das bestas das meninas que so sabem falar mau de mim.Já odeio fazer trabalhos,assim então nem se fale.

MUDANDO DE ASSUNTO eu fiz 2 tumblr.Quem seguir é so avisar que eu sigo de volta Blz?
http://feltoniacsbr.tumblr.com/
http://meninaqroubalivros.tumblr.com/